Avaliação

Performance

8.4

Design

9.7

Praticidade

9.3

Segurança

8.2

Limpeza

10.0

Outros

10.0

Nota Geral

9.2

Custo-Benefício

1

Pontos fortes

  • Ótimo design e acabamento
  • Válvula de pressão prática
  • Não possui copinho de drenagem

Pontos fracos

  • Funcionalidades deixam a desejar
  • Partes da tampa ficam acima de 100°C
  • Contenção de calor abaixo da média
Plantão da Harpyja no Telegram para a Black Friday

Avaliação da Panela de Pressão Midea 6L | Harpyja

A Midea está com 3 modelos de panelas de pressão elétricas no mercado. Todas tem 6 litros de volume, mas cada uma com sua peculiaridade.


O modelo testado aqui é o PPA, com painel digital, mas sem todas as funções que o modelo completo possui. O PPAP, também digital, é o modelo mais completo com mais acessórios e um revestimento mais robusto na panela. O modelo PPB é o modelo analógico.

No modelo PPA, testado, há números depois das letras do modelo que indicam a voltagem do produto (71 é 127V e 72 é 220V). Apesar dos volumes serem iguais as tampas dos três modelos são diferentes. 

Design e Acabamento

Esta panela de pressão da Midea tem um ótimo acabamento. A lateral é toda em inox escovado com uma boa junção entre o topo e a base, que são de plástico fosco preto. A união do painel com o corpo metálico também ficou muito bem adaptado, parecendo uma só peça. Todo o plástico usado na panela é rígido fosco, sem rechupes (deformações) evidentes ou junções mal feitas. Não há parafusos aparentes dentro ou fora da panela. 

A aparência da tampa  também é agradável, sendo uma mistura de plástico com metal escovado. A estrutura interna da panela lembra muito a Electrolux PCC20 testada pouco tempo atrás, apesar da PCC20 ser uma tampa com metal mais espesso. Fora esse detalhe o encaixe da borracha e desenho das válvulas é muito similar, para não dizer igual. 

A panela é de alumínio e tem 6 litros de volume com um revestimento antiaderente bom na parte interna. Depois de todos os testes a parte interna ainda continuou intacta. A parte externa tem uma pintura simples, melhor que a Mondial digital e Semp, mas do pouco que utilizamos, no fundo onde fica em contato com a resistência, já apresentou riscos e partes aparecendo o alumínio.

É uma panela muito similar à da Electrolux. Colocando as duas lado a lado não dá para distinguir qual é qual. A única diferença está na marcação de volume. Ambas tem marcações em lugares diferentes, mas em nenhuma das duas a indicação é confiável. Nesta Midea o erro varia de 10 a 30% da medida de copo imperial (284 ml). 

Junto com a panela vem um copo medidor simples, uma concha e uma colher, todos em material plástico.


O Painel

O painel é digital com uma película de ótima qualidade, muito superior ao modelo digital da Mondial. O trabalho de cores no painel e os icones na interface agradaram. Tudo é legível, escrito em branco. Leves detalhes em prata, alaranjado e azul deixaram o painel moderno sem ficar poluído. 


No lado esquerdo ficam as receitas: Carnes, feijão, arroz, sopa e "minha receita. As receitas pré-programadas já vem com um tempo fixo tendo somente uma leve flexibilidade para algumas receitas, podendo apertar o botão "Meu sabor". Este botão permite escolher entre: suave, ao ponto e forte. A ideia é interessante mas a utilização é confusa. Para algumas funções o botão funciona e para outras não. De repente é algo que com o tempo a pessoa acaba se acostumando a usar, mas para facilitar esse trabalho seria bom se fosse mostrado o tempo para cada receita, o que não acontece. 

A vantagem é que o botão "minha receita" deixa o usuário livre para programar o tempo sob pressão, então para aqueles que não querem descobrir o tempo de cada receita, o modo manual é muito útil. Por sinal é prático de usar, mais simples que o painel da panela Electrolux. 

No lado direito da panela estão as funções: assar, fritar, refogar e cozimento lento. Novamente o funcionamento é um pouco confuso. Assar não permite mexer no tempo, fritar e refogar mostra o tempo de funcionamento no painel e o cozimento lento permite usar o botão "meu sabor". Uma salada para a experiência de utilização. 

No centro fica o seletor para programar o tempo de utilização (basicamente usado com o "minha receita"), o "timer" que prorroga o início do funcionamento e o botão "meu sabor" já mencionado. 

O botão "liga/desliga e aquecer" fica abaixo das funções no canto direito. Ele é o único botão alaranjado, ficando destacado, mas com um ótimo design. Se apertar o botão antes de acionar qualquer função, a panela irá para o modo "aquecer". No display demonstrará "0H". Assim que passar uma hora nessa condição irá mudar para "1H" e a cada hora aumentará uma hora no display. 


No geral um painel visualmente agradável, mas que deixou a desejar na usabilidade. Simples mudanças o tornariam muito mais prático. 

Praticidade

Grande parte da praticidade de uma panela de pressão elétrica está na utilização e informação trazida no painel. Faltou o tempo de funcionamento de cada programa. Como todos os ciclos tem a mesma pressão, o tempo é crucial para determinar o ciclo a ser utilizado. Acaba sendo mais útil o botão "minha receita", pois é o único lugar onde o tempo é apresentado antes de atingir a temperatura de funcionamento. 

A tampa abre com facilidade. A alça no topo tem um design diferente, mas é prática de rotacionar a panela para travar e destravar. Na parte interna a tampa é uma peça única, diferente da Semp e Mondial que possuem uma tampa auxiliar onde a borracha de vedação é acoplada. Aqui tudo está em uma estrutura de inox robusta. Todo o conjunto interno lembra a arquitetura da panela avaliada da Electrolux

Esta panela não vem com um copinho para coleta de líquidos. Grande parte das panelas tem isso para coletar água caso a tampa da panela tenha vazamento. No lugar disso a Midea fez uma piscina sobre o topo um pouco maior que as outras. Dentro dos testes feitos este sistema é bem interessante, pois em nenhum momento houve vazamento e quando tem um pouco de água escoando, não chega a transbordar a piscina. 


Para que a panela ligue, caso a tampa esteja colocada sobre a panela, é necessário travar a tampa. Se isso não ocorrer a panela não liga e avisa que a tampa está aberta. É algo similar a panela Electrolux

A válvula de pressão no topo é grande, fácil de perceber aonde está e deslocar para onde se desejar. Só o texto na tampa que poderia estar escrito em português, todos os materiais escritos, exceto os adesivos explicativos, estão em inglês.

A panela vem com um antiaderente na parte interna. Há uma marcação em copos, mas não bate com a marcação do copinho plástico que vem com medidas de dosagem, assim como não bate com o que seria um copo. Apesar disso, nenhuma das panelas já testadas teve uma indicação precisa, então esta é somente mais uma com indicação imprecisa.

A válvula para liberar a pressão é ótima. A maioria das panelas tem uma válvula pequena e espirra muita água quando liberando a pressão. Esta válvula é maior, mais prática de liberar e também não espirra muita água quando liberando o vapor. 

Junto com o produto vem um livro de receitas que traz detalhes de como utilizar a panela para obter melhores resultados com a panela. É um livro bem montado, colorido, com leitura e explicação clara para preparar os pratos, assim como auxiliar na utilização da panela.


Performance

Esta panela trabalha somente com uma pressão independente do programa escolhido. A única diferença entre os programas está no tempo de funcionamento. 

Sob pressão os programas trabalham perto de 110 graus, similar a temperatura de funcionamento da Mondial e Electrolux. Este comportamento está presente em todas as funções do lado esquerdo do painel, onde estão as receitas. 

Os tempos de preparo de carnes foram curtos para os testes que realizamos e infelizmente não é possível mexer no tempo, a não ser usando o seletor do "meu sabor" e ainda fica difícil saber o tempo escolhido (pois somente é avisado quando a pressão desejada é atingida.

Quando usando os outros lados do painel (assar, refogar, fritar e cozimento lento), tivemos algumas surpresas boas e outras não tão agradáveis.

Quando assando bolo o resultado foi positivo, porém foi necessário colocar o dobro do tempo sugerido pelo livro de receitas da Midea. A vantagem é que é possível sim assar bolo sem queimar muito o fundo (queima só um pouco).

Quando usando o refogar o comportamento da resistência foi bom, sem esquentar demais a panela e garantindo um bom refogado. Nesse botão o tempo é programado para 30 minutos, sem poder mudar. O botão fritar tem o mesmo comportamento do refogar e também tem o mesmo tempo de funcionamento. Quando medindo a temperatura da panela os dois demonstraram ter um comportamento equivalente. 

O botão cozimento lento foi uma surpresa, pois cozimento lento normalmente trabalha com temperaturas mais baixas. Nesse caso não foi o ocorrido. O cozimento lento trabalha com a mesma temperatura dos programas de receitas, acima de 100 graus, a única diferença é o tempo de funcionamento que dependendo da seleção, usando o botão "meu sabor", pode variar de 60 minutos até 120 minutos. 

Na contenção de calor a Midea PPA ficou abaixo da média perdendo por volta de 20°C por hora. Uma perda 30% mais alta que a Mondial digital. Assim mesmo com seus 1000W de potência, não teve um consumo excessivo, beirando 335W para um ciclo de uma hora sob pressão.

Esta panela de pressão trabalha silenciosa, tendo somente um leve barulho quando entrando no estado de ebulição, mas poucos segundos depois volta a ficar em silêncio. 

Limpeza 

Apesar de um painel digital e detecção de porta aberta por circuito elétrico, nada desses componentes está exposto a água. A limpeza pode ser executada de forma bastante fácil. 

A borracha da tampa sai com facilidade, porém os cantos que seguram a borracha são chatinhos de limpar.