Na prática

Pontos fortes

  • Mantém a temperatura controlada
  • Bom acabamento
  • Acompanha potes para guardar o iogurte pronto em porções

Pontos fracos

  • Produção máxima 1 litro por vez.
  • Não da para manusear com uma mão só
  • Não cabem todas as peças juntas para guardar
Plantão da Harpyja no Telegram para a Black Friday

Na Prática com a Iogurteira Elétrica Cadence Naturalle 1 Litro

Iogurteira Elétrica Cadence Naturalle

Já faz mais de 2 meses que estou brincando com essa iogurteira. Para um produto extremamente simples, foi impressionante a quantidade de testes que foram feitos nela!

O que exigiu mais tempo foi aprender sobre iogurte e a fermentação com leite, pois essa é a grande arte de fazer iogurte. Um trabalho por sinal que tem muito material científico no assunto. 

Segue alguns interessantes para os curiosos:

Pavilhão do Conhecimento - Bactérias produtoras de iogurte

BBC - A química por trás do iogurte

Science and Food - The Science of yogurt

Yogurt in Nutrition - Site

Tangy

Interessante que na lingua inglesa usa-se frequentemente a palavara "tangy" para descrever o sabor característico do iogurte. Não sei de nenhuma palavra que traduza devidamente "tangy" na língua portuguesa. Caso saiba, conte aqui nos comentários, mas atualmente quando digitando no Google a tradução vem como "picante". Até faz sentido o termo picante, mas "tangy" é uma mistura de azedo com picante. Precisamos de uma palavra para isso! Alguma sugestão?

A iogurteira

Se você está buscando uma resposta super rápida sobre o que é a iogurteira Cadence, aqui está: esta iogurteira é uma bacia de bom acabamento com temperatura controlada. 

Sim, é basicamente isso. O trabalho para a criação de iogurte é feito pelas bactérias e o que o equipamento proporciona é um ambiente propício para a fermentação. Por sinal, se você ainda não é experiente em preparar iogurte em casa, vale ler a matéria sobre o preparo aqui no blog da Harpyja e saber tudo que precisa desde os insumos até alguns macetes para o preparo.

Mas vamos detalhar mais a iogurteira, pois apesar de um produto simples, tem alguns pontos bem interessantes. 

Dentro da caixa vem muito mais do que a iogurteira em si. Somando todas as peças há 15 no total! Uma iogurteira, a tampa da iogurteira, um recipiente em inox para preparar o iogurte em si, a tampa para esse recipiente, cinco potes para armazenar iogurte pronto e tampa para cada um, e também um suporte para auxiliar no abastecimento dos potes de iogurte.

Peças Iogurteira Elétrica Cadence Naturalle    

Todas as peças são plásticas exceto o recipiente para preparo que é em inox. Ainda assim, as peças tem um bom acabamento, um bom encontro sem deformações no plástico. A iogurteira é branca com detalhes na base e no pegador da tampa em lilás. A tampa é acrílica transparente, com um design agradável.

O recipiente é simples em inox, mas sem cantos vivos ou emendas, agradou. A tampa é em polipropileno, leitosa, veste bem sobre o recipiente, mas não veda. Até a boca do recipiente cabe 1,25 litros de água (por volta de 1 litro de espaço útil). Caso queira produzir mais que isso, aí será necessário usar outro recipiente para a produzir na sequência. Por sinal, fizemos o teste usando um pyrex de vidro cilíndrico e funciona bem.

Recipiente de inox Iogurteira Elétrica Cadence Naturalle

Os potinhos para guardar porções de iogurte são pequenos, cabendo até a boca 150 mililitros (volume útil por volta de 125ml). Como há 5 potinhos não é possível transferir todo o iogurte para os potes (5x 125ml = 625ml). Ou seja, se for produzir para guardar nos potinhos, vale fazer meia remessa. 

Potes de iogurte Iogurteira Elétrica Cadence Naturalle

A peça plástica extra é muito útil para abastecer os copinhos e transportá-los. Como os copos são altos é fácil virar quando enchendo de iogurte. A peça plástica encaixa dentro da iogurteira e é possível deixar todos os copinhos organizados para serem abastecidos.

Potes de Iogurte Iogurteira Elétrica Cadence Naturalle

Todas as peças são fáceis de limpar, sem cantos para acúmulo de sujeira. O cabo de alimentação tem um ótimo tamanho, chegando a dar 1,2 metros. 

Alguns pontos que valeria melhorar são os pés plásticos que poderiam ter uma borrachinha, pois o produto vazio é super leve. A tampa veste muito bem no corpo, mas se for segurar para carregar, é necessário usar as duas mãos, pois a tampa pode deslizar e abrir se estiver segurando com uma mão. Também não é possível guardar todas as peças dentro do produto. O recipiente de inox ou os potes de iogurte necessitam ficar fora. 

Preparando o iogurte

Esta iogurteira tem somente 9W de potência. Realmente é só uma resistência simples presa em uma chapa de metal que transfere o calor para a área plástica interna. Ou seja, com essa pequena potência o produto não é feito para aquecer o alimento dentro da panela, e sim manter aquecido o que está ali. 

Se um líquido mais frio for colocado ali dentro ele irá aquecer, mas vai levar muito tempo para isso acontecer. Fizemos um experimento colocando 600ml de leite dentro da iogurteira na temperatura ambiente (22°C). Levou mais de duas horas para o leite passar de 40°C


Para ter uma fermentação ótima, o iogurte deve ficar em torno de 43°C. A maioria dos testes que executamos a temperatura ambiente girou entre 20 e 24°C. A iogurteira em todos os casos manteve a temperatura estável em torno de 43°C. 

Para evitar flutuações na temperatura a Cadence sugere colocar entre 150 e 200 mililitros de água dentro da iogurteira e deixar a tigela de inox em banho maria. Ou seja, vale colocar a água um bom tempo antes para já estabilizar a temperatura interna ou colocar água próximo de 40°C quando for inserir a tigela com o iogurte. 

Sendo assim, se o iogurte e a água para o banho maria estiverem próximos da temperatura de fermentação, todo o processo é bem estável, tendo muito pouca variação no funcionamento. 

Resultados com a Iogurteira

Nos testes feitos foi usada a proporção sugerida no manual da Cadence: 1/4 de iogurte natural sem sabor (comprado no mercado) e 3/4 de leite (o menos industrializado o possível). Foi feito teste com iogurte integral de pacote de duas marcas diferentes assim como foi feito teste com leite direto do produtor (sem passar por processo de industrialização). 

A qualidade dos insumos afetou não somente o tempo de fermentação mas também a qualidade do resultado. Os iogurtes feitos com o leite direto do produtor tiveram uma qualidade de sabor e textura superiores. Somente lembrando que, antes de fazer o iogurte, o leite foi fervido para evitar que qualquer bactéria diferente das do iogurte estivessem presentes na mistura. 

Experimentos com panela em temperatura ambiente

Em vários testes feitos usamos uma panela de pressão elétrica desligada para em paralelo ver o comportamento da fermentação na temperatura ambiente. Para atingir uma fermentação satisfatória era necessário 12 horas de fermentação na panela sem aquecimento, e na iogurteira por volta de 5 horas já se tinha iogurte pronto em ótima textura. 

Caso busque fazer iogurte sem iogurteira, não recomendaria deixar o alimento na temperatura ambiente, mesmo que onde more seja quente. Vale usar algo para pelo menos conter a temperatura de 43°C pelo maior período possível. De repente usando um isopor com bolsa de água quente ou enrolando a panela em um cobertor, mas deixar ela esfriar sem contenção de calor acaba não só tomando mais tempo, mas também o resultado do iogurte não é o mesmo. 

Mais tempo, Mais Tangy!

A fermentação deixa os alimentos mais azedos, ou seja, quanto mais tempo de fermentação, mais ácido é o resultado. Como parte dos experimentos em vários casos foi feita a coleta do ph da mistura. Em um dos testes com leite de pacote e um copo de leite Vigor (que por sinal foi uma marca que trouxe bons resultados no iogurte final) foi feita uma coleta do ph a cada hora. 


Prolongando esses tempos, depois de 24 horas o iogurte atingiu um ph em torno de 3,9, muito ácido. 

Também fizemos uma degustação de iogurtes colocando uma parcela pequena de iogurte com uma quantidade de leite. Nesse caso tendo menos bactérias para fermentar, o processo completo era para demorar mais para ser concluído. Degustamos o iogurte depois de 6 horas, 24 horas e 72 horas, fazendo na iogurteira e na temperatura ambiente. 

Depois de 6 horas na iogurteira o iogurte já estava saboroso, um pouco líquido, mas agradável. Na panela havia pouca diferença da mistura original. 

Depois de 24 horas na iogurteira o líquido estava super denso, com cara de talhado e bem ácido. Na panela não estava muito acido e o líquido estava levemente pastoso. 


Depois de 72 horas a textura do líquido na iogurteira não havia mudado muito, mas o gosto estava impossível de manter na boca. Extremamente ácido. Por outro lado na panela na temperatura ambiente o líquido continuou pastoso, mas não muito. Ficou ácido, mas não muito. Parecia estar estragando. 

Fazendo outros fermentados

Como não é possível mexer na temperatura da iogurteira, é limitado o que se pode fermentar nela. Por ser uma iogurteira, como o nome já diz, ela foi feita para fermentar LEITE! Mas assim mesmo demos uma estudada do que daria para fermentar. 

Um dos fermentados que deu certo foi a fermentação de arroz para fazer panqueca de arroz, chamada comumente pelos indianos de Dosa. Aqui no Brasil não é comum fermentar arroz, mas isso é o oposto na Índia. Lá, grande parte da população fermenta arroz para esse propósito. Há algumas receitas para fazer Dosa na internet, mas sempre é uma adaptação pela ausência de um grão que não se encontra no Brasil chamado Black Gram. Caso alguém saiba onde encontrar, comente aqui embaixo. 

Em casa fazemos isso sem nada, somente com o arroz. Pegue essa iogurteira e ao invés de colocar iogurte coloque arroz mergulhado em água. Deixe essa mistura coberta com um pano e deixe fermentando por mais de 12 horas. Já deixei uma vez mais de 48 horas e ainda ficou bom, então o ponto desejado da fermentação é de cada um. 

Depois disso jogue fora a água, coloque o arroz em um liquidificador com água fresca até submergir os grãos. Depois disso, é só tratar como uma panqueca e jogar em uma frigideira com guee ou manteiga. 

Dosa é algo que fazemos com uma certa frequência em casa, principalmente para comer com molhos no lugar de arroz feito na panela. Para bebês comerem com a mão também é ótimo. 


Resumindo

Deu para ver algumas utilidades para a iogurteira. Caso o leite e o iogurte estejam na temperatura para fermentação, tudo é muito fácil. O porém é que uma das partes mais delicadas é estar com tudo na temperatura ideal e isso não faz parte da iogurteira. Para isso, um termômetro extra pode ser útil para garantir que o leite está pronto para ir para a iogurteira. Ainda assim, pelo valor, ela tem sua utilidade para os fãs de um iogurte caseiro feito rapidamente. 





Compartilhe:   

        

Quer receber nossa newsletter?